Regional

Paulo Afonso - 22/02/2010

Escolas têm resistência a deficientes

Agência de Notícias de Paulo Afonso (ANPA)

A resistência de diretores e professores das escolas públicas é uma das principais causas dos baixos índices da inclusão dos deficientes no ensino regular. Grande parte dos trabalhadores da educação não quer alunos com deficiência, mesmo com a limitação legal de 18 estudantes "normais" e dois deficientes para cada sala. Em Paulo Afonso, nas redes públicas municipal e estadual, que em 2010 têm  juntas cerca de 30 mil alunos matriculados, não se sabe exatamente quantos deficientes são atendidos nas escolas ou em instituições de assistência social conveniadas, como APAE. Experiências relatadas por famílias apontam o grau de rejeição das escolas. Uma dona-de-casa, mãe de uma adolescente de 18 anos, portadora de deficiência mental, sentiu e ainda sente que a filha é rejeitada. Nas primeiras duas escolas públicas que matriculou a filha, perto de onde mora, logo foi obrigada a tirá-la por orientação das próprias instituições, que alegaram falta de preparo e condições para recebê-las.

 


Últimas

21 até 40 de 1559 « Primeiro   « Anterior     Próximo »   Último »
Busca



Enquete

O que vai acontecer na eleição 2020 em Paulo Afonso?





Votar Resultado
Adiquirindo resultado parcial. Por favor aguarde...


Todos os direitos reservados