Opinião

Paulo Afonso - 06/02/2010

SONO DOS JUSTOS

Bob Charles
Railda Lima

Ouvimos em várias oportunidades alguém pronunciar a frase "quem te viu quem te vê". Geralmente aplicamos àquelas pessoas que assumem cargos o menor possível, e que se transformam de uma hora para a outra, desconhecendo os pais, os irmãos, os amigos, principalmente os inimigos que são caçados e em última instância dizimados sem qualquer justiça. Dito isto supomos que existem pessoas desse jaez a ponto de se esquecerem o que foram e como iniciaram suas vidas públicas. Pessoas que sempre viveram com as camadas mais carentes, procurando defendê-las sob todos os aspectos, estivessem certas ou erradas. Pessoas que ao longo da caminhada seguiam uma trajetória de luta pelos mais pobres, por aqueles mais necessitados. Na verdade, estes indivíduos, nunca em momento algum, pensaram na comunidade pobre e sim em suas trajetórias do mais rápido possível alcançarem o poder. Indivíduos que marcaram uma escalada fazendo greve em todos os sentidos, fechando colégios, instituições públicas e privadas, desafiando autoridades, inclusive desclassificando-as em busca da atenção de grande parte da camada da sociedade. O importante para elas era o poder que mais cedo ou mais tarde, alcançariam. São os discípulos de Maquiavel. Não se importavam como e qual o mal que fariam aos seus adversários. O importante mesmo é chegar ao topo do poder. E já com tudo traçado, planejado. Alguns amigos fariam parte da corte, mas o resto que se lixe, porque o alcance de tudo teve que seguir uma trajetória de "humildade" que jamais ocorreria não fosse a necessidade de estar num cargo privilegiado. E como no planejamento, utilizarem-se a partir daí, de quaisquer que sejam os mecanismos escravizando os seus semelhantes, notadamente àqueles que acreditaram e conseqüentemente os levaram a posição que sempre pensaram em estar, e que não alcançariam se não tivesse usado de expediente espúrio. Estas pessoas que não respeitam os seus semelhantes e que só se lembram de Deus quando estão no pau do canto, não podem continuar impunes. A sociedade precisa com urgência dar um basta nisso tudo, retirando-as de ação, a bem da própria sociedade. Já demonstraram o nível de banditismo e que são capazes de qualquer coisa. Por exemplo, quando o adversário está doente, de imediato procuram meios para tomar o que aquela pessoa tem ou desempenha. Não importa para elas o que vai acontecer. Como diz o outro, o que interessa é usurpar para si ou para o seu grupo ou amigo, tudo o que a pessoa tem. São bandidos gananciosos e de alta periculosidade, que em virtude das atitudes pecaminosas que exercitam de vez em quando recebem também o seu troco, mas muito pouco pelo que já fizeram e continuam fazendo contra os seus semelhantes. Mesmo porque nada existe contra si. Justiça não funciona, ao contrário, a utiliza para benefícios próprios, desrespeita qualquer lei, perseguem pessoas, até mesmo entidades de classe, porque afinal de contas se mostram e se auto-intitulam acima de tudo, dos homens e de Deus. Indivíduos perversos que perderam aquela "humildade" do passado. E que desencadeiam perseguições odientas. Essas pessoas são infelizes porque não podem dormir o sono dos justos.


Busca



Enquete

Qual a sua posição sobre projeto de abuso de autoridade? Sou contra




Votar Resultado
Adiquirindo resultado parcial. Por favor aguarde...


Todos os direitos reservados