Política

Paulo Afonso (BA) - 15/09/2010

Disputa para dep. federal mais votado tem foco em 2012 e 2014

Por Evandro Matos
ACM Neto foi o mais votado em 2006 e tenta repetir em 2010
ACM Neto foi o mais votado em 2006 e tenta repetir em 2010

Como política não é uma ciência exata, dependendo, inclusive, de fatores que surgem de forma surpreendente, até aqui os nomes mais apontados para ficar entre os dez mais votados são, com alguns reparos: ACM Neto (DEM), João Leão (PP), Rui Costa (PT), Lúcio Vieira Lima (PMDB), Nelson Pelegrino (PT), Valmir Assunção (PT), Mário Negromonte (PP), Félix Mendonça Júnior (PDT), Daniel Almeida ou Edson Pimenta (PCdoB) e Jutahy Júnior (PSDB).

ACM Neto / Mais votado na eleição passada, quando superou a marca dos 435 mil votos, o deputado ACM Neto pode não repetir a façanha agora, mas ficará perto, no mínimo. Além de ter tido uma atuação de destaque no Congresso Nacional, Neto também fez uma bela campanha pela Prefeitura de Salvador, só não passando para o segundo turno por causa de erros do passado. Com o reccal desta eleição de 2008, Neto ampliou a sua possibilidade de votação na capital baiana e segue firme com os redutos do interior, inclusive nos distantes grotões. Além disso, faz uma campanha bem centrada, se credenciando, portanto, como um dos grandes favoritos. Para ele será fundamental ficar em primeiro, porque ajuda a se cacifar para 2012 e até 2014.  

 João Leão / O deputado federal João Leão, além de ser uma das principais lideranças do PP, foi também secretário estadual de Infraestrutura, o que lhe possibilitou ampliar os seus redutos no interior. Com base eleitoral em Lauro de Freitas, Leão também é apontado como um dos favoritos a ser o mais votado para a Câmara Federal nesta eleição. É verdade que, quando deixou a secretaria, perdeu a queda de braço dentro do partido, quando tentou se cacifar como o nome a ser indicado ao Senado, em detrimento da presença de Otto Alencar, também filiado ao PP, como o vice de Wagner. Como não havia espaço para dois progressistas na mesma chapa, teve que se render a Mário Negromonte, o presidente da legenda. Sendo assim, Leão adiou o seu sonho mais forte para 2014.

 Negromonte / Aliás, Negromonte pode não ganhar para Leão em termos de voto (os dois tiverem 103 mil em 2006), mas ampliará a sua votação no estado, além de eleger o filho para a Assembleia Legislativa. Como se não bastasse, é nome especulado para assumir um ministério em caso de vitória de Dilma Rousseff.

 PT com três nomes / Dentro do PT, o comentário é que o deputado federal Nelson Pelegrino será o mais votado do partido nesta eleição. Candidato a prefeito de Salvador em várias eleições, Pelegrino herda estes votos e, agora, após assumir a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, ampliou o seu cabedal político no interior, o que antes era restrito à região Metropolitana de Salvador. Se ficar na frente, Pelegrino terá dado um passo importante para se recredenciar como o candidato do PT à Prefeitura de Salvador em 2012. Claro, para isso, torce pela vitória de Walter Pinheiro para o Senado, sempre o seu calo na disputa interna na capital baiana.   Mas a aposta inicial era que Rui Costa, o ex-todo poderoso secretário de Relações Institucionais do governo Wagner, seria o mais votado do PT. Contudo, dizem que agora a sua votação virou uma incógnita. Ou seja, pode ser o mais votado, mas não é mais uma certeza. Para completar, o candidato Valmir Assunção poderá surpreender, vindo a ser o segundo ou o terceiro mais votado do partido. Mas há quem aposte até no primeiro lugar, o que seria uma ameaça para as pretensões de Pelegrino e o próprio Rui Costa. Vai depender do MST. 

 

Lúcio Vieira Lima  / Por reinar absoluto dentro do PMDB e herdar os redutos do irmão (Geddel teve 287 mil votos em 2006), Lúcio Vieira Lima também é apontado como dos que podem chegar em primeiro lugar na votação para a Câmara Federal. Falante e destemido, Lúcio praticamente passou a morar no interior. Além de fazer a campanha dele próprio, também abre porteiras para o irmão Geddel, candidato ao governo do estado. Mas Lúcio também sofre os golpes da traição. Ao entregar o partido a muitas lideranças e prefeitos do interior, recebeu a promessa de apoio para a Câmara Federal. Hoje, contudo, sem escrúpulos e de olho em outros 'vinténs', alguns já esqueceram a palavra empenhada. Mas, independentemente disso, é nome para as cabeceiras nesta eleição.

PDT nas alturas / No mais, surgem muitas especulações. No PDT, por exemplo, o candidato Félix Mendonça Júnior, filho do deputado federal Félix Mendonça, deve ultrapassar a barreira dos 170 mil votos, podendo chegar, segundo cálculos, a 230 mil. Talvez não fique entre os cinco mais votados, mas vai herdar os votos do pai e se consagrar, no mínimo, entre os dez mais votados.

 PCdoB tem dois nomes / Os deputados Daniel Almeida e Edson Pimenta (PCdoB) também são considerados campeões de voto. Possa ser que não cheguem entre os cinco primeiros, mas são nomes em ascensão, e podem surpreender. Daniel, além de sua base na capital, cresceu no interior após as eleições de 2008. Com o apoio de prefeitos e lideranças emergentes do partido, também passou a contar com a estrutura de parlamentar governista, tanto na Bahia quanto em Brasília. O mesmo se aplica a Edson Pimenta, que ascende da Assembleia Legislativa para a Câmara Federal, lastreado neste mesmo diapasão. Ele conta, ainda, com a base da FETAG, que sempre lhe rendeu uma boa votação em eleições passadas.

 Tucano / Outro nome que merece ser observado é Jutahy Júnior, do PSDB. Não fica entre os cinco primeiros, mas deve superar a barreira dos 150 mil votos, podendo se situar entre os dez mais votados para a Câmara. Como não faz parte da base governista, pode ser prejudicado na reta final, mas ainda assim faz uma campanha bem estruturada, com votação em todas as regiões.        

 


Últimas

1 até 20 de 5770   Próximo »   Último »
Busca



Enquete

Como você avalia a qualidade do transporte público em Paulo Afonso?






Votar Resultado
Adiquirindo resultado parcial. Por favor aguarde...


Todos os direitos reservados